Passada de líder - Jogo Jogado

terça-feira, 27 de março de 2012

Só as próximas duas jornadas podem clarificar se o Braga arranca - ou não - para o título. Mas uma coisa é certa: antes dos jogos com Benfica e FC Porto segue na liderança do campeonato, algo em que poucos acreditariam quando faltam unicamente seis rondas para encerrar a maratona. E chegou ao topo numa partida frente à Académica em que a mistura da competência (na primeira parte) com a "estrelinha" (na segunda) levou Leonardo Jardim ao 13º triunfo consecutivo. Apenas José Mourinho o havia conseguido, até hoje, na Liga portuguesa.

A maior dúvida, que existia antes do encontro, residia em saber como lidaria o Braga com o facto de ter uma hipótese de ouro para passar a concorrência. A abordagem ao jogo não podia ser melhor. Descomplexada, a equipa minhota dominou quase como quis e foi criando oportunidades suficientes para inaugurar o marcador. Hugo Viana ensaiou uma vez, duas vezes, Lima obrigou Flávio a salvar em cima da linha de golo e, pouco depois, Mossoró , com um cabeceamento tecnicamente irrepreensível, fez o inevitável. E, ainda antes do intervalo, Lima ampliou a vantagem e deu expressão (natural) à superioridade bracarense. Uns 45 minutos iniciais que se limitaram a confirmar aquilo que se calculava como o mais provável.

Parecia estar consumado o assalto ao primeiro lugar, pela forma equilibrada e eficaz (logo, competente) como o Braga desenvolveu toda a sua ação. No entanto, os arsenalistas não contaram com uma "pedra no sapato" de nome David Simão. Foi ele o joker lançado por Pedro Emanuel que fez com que o resto do desafio não fosse o mar da tranquilidade com que os bracarenses sonhavam. Não apenas pelo golo monumental que marcou, mas também pela "agitação" que o jogador emprestado pelo Benfica provocou na Académica e, consequentemente, no andamento da própria partida.

O Braga acusou o golo e, talvez com uma antecedência pouco prudente, tratou de gerir a vantagem, o que também facilitou o "crescimento" da equipa de Coimbra. O derradeiro quarto-de-hora - não vale a pena iludirmos as coisas - foi muito difícil para a equipa da casa. A pressão academista foi intensa, com destaque para um período de cinco minutos em que a Académica teve quatro hipóteses reais para empatar. A tal "estrelinha" (que, dizem, é apanágio dos campeões) esteve presente naquele remate de Diogo Melo ao poste, mas também a enorme atuação de Quim que realizou um par de defesas notáveis e...decisivas.

Contas feitas - e isso é o que realmente interessa - o Braga é o novo líder do campeonato. O que é compreensível quando se é mais regular do que os restantes. Mesmo assim , continua a não se assumir como declarado candidato ao título e Leonardo Jardim até teve a tirada da noite ao afirmar que, no início da temporada, quando os investimentos são feitos e os objetivos definidos, o Braga "não entregou os papéis da candidatura", ao contrário de outros (FC Porto, Benfica e Sporting , obviamente). Traduzindo, o que Jardim queria dizer com isto é muito simples: não venham exigir-nos aquilo que deve ser exigido aos outros. E assim, paulatinamente, até se arrisca a ser campeão.

tsf.pt



Deixe o seu comentário AQUI.

Os últimos 15 artigos:



0 comentários :

Enviar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP